O ICSS ultrapassou a marca de 8 mil certificados profissionais concedidos desde o início de suas atividades de certificação, há uma década, no sistema de previdência complementar fechada. Até agosto de 2020, o Instituto realizou 8.025 certificações de conselheiros, diretores e demais profissionais das entidades fechadas. O número reflete o compromisso das EFPCs com a capacitação e profissionalização do seu corpo de dirigentes e técnicos.

A renovação dos certificados após os três anos de vigência também apresenta patamares elevados. Já foram realizadas mais de 4,2 mil recertificações pelo ICSS desde 2013.

O Diretor-Presidente do ICSS, Guilherme Leão, afirma que o Instituto está preparado para atender às novas regras para reconhecimento das instituições certificadoras e de seus certificados, estabelecidas pela Instrução Normativa da Previc nº 29/2020, publicada nesta quinta-feira (23).

“Essas regras estão na sequência do que era esperado. Inclusive, são positivas do ponto de vista mercadológico, pois elevam os requisitos para se reconhecer a capacidade técnica das entidades certificadoras”, destaca Leão. “Isso não é problema para o ICSS, que já tem 10 anos de atividades e  quase 8 mil certificados profissionais emitidos, com profundo know-how nessa área”.

O Diretor-Presidente do ICSS destaca que o Instituto está adiantado em relação à exigência de Certificação exclusivamente por Prova ou Prova e Títulos a partir de 1º de janeiro de 2021, já mencionada na IN 13/2019 e reforçada pela IN 29/2020.

O ICSS tem mantido diálogo estreito com a Previc sobre o novo modelo de Certificação de Provas e Títulos combinado à Experiência. A metodologia foi apresentada pelo Conselho Diretor do ICSS a representantes do órgão de fiscalização no dia 06 de maio. E no dia 19 de junho, houve nova reunião entre o ICSS e a Previc.

“Não será dificuldade para nós. Inclusive, agora com o anexo da Instrução 29, que traz as novas exigências de conhecimento para as provas, integral ou parcialmente, teremos condições de fechar nosso modelo tanto em termos de conteúdo dos exames como da modelagem desta modalidade”, ressalta Leão.

..................

A UniAbrapp  adicionou a sua competência acadêmica um novo sentido de urgência capaz de atender, com a brevidade possível,  a necessidade que as pessoas sentem de responder com rapidez às suas carências profissionais. Disso resultaram  cursos não apenas 100% digitais, mas também abordando novos temas e voltados agora para dar resposta a demandas pontuais. Em consequência mudanças profundas se fizeram sentir tanto na temática quanto na didática utilizada. Na esteira dessas transformações vieram cursos,  por exemplo, sobre  tomadas rápidas de decisões e lideranças empáticas e engajamento organizacional, entre várias outras novidades.

....................

A Abrapp e o Sindapp colocaram em audiência pública a minuta da proposta de alterações para o Código de Condutas Recomendadas para o Regime Fechado de Previdência Complementar. Mais conhecido como Código de Ética, o documento está sendo reformulado e as associadas poderão enviar sugestões até o próximo dia 13 de outubro.

“A atualização deste Código espera contribuir para a orientação de condutas que visem à reflexão de que seguir os melhores padrões de conduta colabora na construção de ambiente sustentável para o fomento da poupança privada através do Regime Fechado de Previdência Complementar”, diz comunicado assinado pelo diretor Presidente da Abrapp, Luís Ricardo Martins e pelo Diretor Presidente do Sindapp, José de Souza Mendonça.

Defesa dos atos regulares de gestão / promoção da ética  /  negociações com os sindicatos dos trabalhadores /

................

Mas nada talvez capture melhor nesse momento a imagem de repensarmos o sistema, fazê-lo dar um salto triplo carpado em resposta às mudanças, do que a Conecta, a empresa criada pela Abrapp em 2017 para oferecer às associadas novas soluções mediante novas formas de pensar e uso intenso da tecnologia.  Nos últimos meses a Conecta aproximou-se mais que nunca de seu propósito de mudar o  “mindset” e ajudar as  entidades a dar um novo salto se utilizando das muitas possibilidades oferecidas pela nova onda tecnológica, pelo menor custo e podendo por isso beneficiar mesmo as EFPCs de menor patrimônio. É para festejar que tenhamos em plena pandemia conseguido materializar o nosso  Hupp,  o   hub com dois pês ao final  que está permitindo que as associadas possam entrar no mundo das startups.