top of page

Inovação e tecnologia: investimentos na nuvem sobem para R$ 1,5 bilhão mas faltam profissionais   

 

Relatório da consultoria International Data Corporation (IDC) mostra que apenas no Brasil o volume total de investimentos em nuvem deve chegar a R$ 1,5 bilhão em 2024. A notícia é claramente positiva, mas é acompanhada de um alerta, o que de faltam profissionais especializados em cloud que atendam à grande demanda do mercado.

Segundo a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação e de Tecnologias Digitais (Brasscom), o Brasil tem um déficit estimado de 200 mil profissionais do setor de TI. Para este ano, a expectativa é que cerca de 420 mil novas vagas sejam criadas.

 

Um outro levantamento, feito também pela IDC, indicou que o cenário se repete em outras regiões do mundo: a falta de pessoas qualificadas para serviços de nuvem é um problema para 70% dos mais de 600 líderes de TI de empresas de diversos segmentos consultados na América do Norte e na Europa.

 

É lançada página voltada

para a cibersegurança

A Anbima passa a oferecer em seu site uma página especialmente dedicada à cibersegurança,  onde passa a concentrar todo o seu material sobre o assunto. Chama-se #EspaçoCiber.

 

O novo hub de conteúdo auxilia os agentes do mercado e seus clientes a conhecerem mais sobre o universo de cibersegurança e desse modo aprimorarem suas políticas internas. Para isso, a página consolida os principais documentos produzidos pela Associação, como o Guia de Cibersegurança e o Questionário de Due Diligence

 

O #EspaçoCiber também traz as últimas atualizações sobre exigências regulatórias e relembra o que diz a autorregulação da Associação sobre o tema. Além disso, é possível conferir os eventos realizados no intuito de debater o assunto.

O golpe do "Pix errado" está na moda

Enquanto usuários, sejam entidades fechadas ou seus dirigentes, interessa saber que um novo golpe vai fazendo novas vítimas.

 

O primeiro passo dado pelos fraudadores é fazer uma transferência para a conta da potencial vítima. Como parte das chaves Pix é um número de telefone celular, não é difícil para o golpista conseguir um número telefônico e realizar um Pix.

Logo em seguida à transferência, a pessoa entra em contato com a pessoa pelo número de telefone, seja ligação ou mensagem de WhatsApp, por exemplo. E nesse momento o criminoso tenta convencer a vítima de que cometeu um erro ao transferir e pede que o montante seja devolvido. No entanto, solicita que a devolução seja feita em outra conta bancária, sem que essa mudança seja percebida.

O prejuízo acontece porque, em paralelo ao trabalho de convencer a vítima, o golpista se utiliza de um mecanismo criado justamente para coibir golpes, o Mecanismo Especial de Devolução (Med).

O mecanismo exclusivo do Pix foi criado para facilitar as devoluções em caso de fraudes, aumentando as possibilidades de a vítima reaver os recursos. Os criminosos acionam o procedimento, alegando que foram enganados pela pessoa que, na verdade, é a vítima

​Leia as matérias na íntegra em

O aumento de serviços em nuvem e a escassez de especialistas: a equação que não fecha - Mundo RH

Cibersegurança: tema ganha nova página especial em nosso site – ANBIMA

Entenda o golpe do Pix errado e saiba como não ser enganado | Agência Brasil (ebc.com.br)

Golpe do “Pix errado” envolve WhatsApp e mecanismo do BC; saiba como se proteger  (infomoney.com.br)

bottom of page